Comunidade Evangélica de Confissão Luterana em Canoinhas

evangelizar-e1372862576769

Muitas pessoas não são indolentes nos afazeres de casa ou no trabalho do dia a dia, mas o são na Igreja. Há membros que cruzam os braços o tempo todo. São pessoas que dificilmente participam do culto na Igreja, e, raramente colaboram com as atividades da comunidade de fé. Quem nada faz na Igreja, dificilmente se sente feliz ou realizado, pois para o cristão, a felicidade se completa quando ele está a serviço do Senhor, quando ele serve, efetivamente, a Deus em gratidão a tudo àquilo que Deus já fez por ele.

Enquanto muitos cristãos estão em casa dormindo, assistindo novela, navegando na internet ou fazendo qualquer outra coisa no horário do culto, a Igreja a cada dia que passa, está mais vazia. Já as diversas seitas, existentes em meio ao pluralismo religioso, vivem cheias de pessoas. Enquanto isso, o crack está destruindo os jovens, a violência está entrando nas famílias, os casamentos estão sendo destruídos […]. Por causa da ociosidade, muitos grupos, oferecidos pela Igreja, vivem minguados ou acabam padecendo. Deus condena a ociosidade e a preguiça: Davi cometeu o pior pecado de sua vida no dia em que deveria estar na frente de batalha, mas resolveu ficar em casa. Diferente de Eliezer, que quando avistou Rebeca, pela primeira vez, estava indo tirar água no poço, estava trabalhando. Tirou água para toda a comitiva dele e ainda deu água para os camelos. Dormir demasiado conduz a um enfraquecimento total do ser humano e quem dorme demais vive de menos. Uma alma inativa num corpo inerte conduz o espírito a uma vida sem sentido.

Deus manda o povo observar as formigas (cf. Pv 6.6-8): elas nem precisam de chefe ou comandante, mas fazem um trabalho incrível. Se milhares de pequenas formigas, sem instrução nem entendimento, podem cumprir tanto serviço, o fiel não deveria ficar constrangido, pelo pouco que faz? O trabalhador sempre olha ao redor para ver se há mais algum serviço para fazer. Como as formigas, ele nunca fica parado e não espera ser mandado. Deus só chama gente ocupada, que está trabalhando. Os quatro primeiros discípulos foram chamados quando estavam pescando ou consertando as redes; Mateus foi chamado quando estava na coletoria, Eliseu foi chamado quando cuidava de 12 juntas de bois. Deus não chama preguiçoso, mas chama trabalhadores que continuam sendo trabalhadores na Obra, como Amós que foi chamado sendo boiadeiro, como Moisés que foi chamado quando cuidava do rebanho, como Davi que foi chamado quando cuidava das ovelhas de Jessé, seu pai. A palavra de Deus, também, valoriza a mulher em seu trabalho ao mencionar que uma mulher virtuosa não é preguiçosa: “ela busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com as mãos” (Prov. 31.13). Essa mulher é guerreira, não suporta a preguiça. Ao contrário, tem disposição para lutar por seus sonhos. Todas as tarefas que realiza a faz de bom grado, sem murmurações e lamento, por este motivo, nada lhe falta.

Deus não manda avivamento para uma Igreja ociosa, pois Ele não honra a preguiça, mas abençoa àqueles que trabalham. A Igreja agrada a Deus quando seus membros congregam na obediência da Palavra, no amor ao próximo e no trabalho do Reino de Deus. Muitos defeitos são corrigidos quando o trabalho é feito para edificar a unidade orgânica da Igreja de Cristo (1Co 12). O trabalho deve ser feito com dedicação, amor e humildade. Nenhum esforço deve ser poupado no labor ao Senhor para que a obra seja digna de glorifica-Lo. Não deve haver espaço para preguiça na vida de um Cristão.  Um crente pode se tornar ocioso se acreditar que Deus não espera fruto de uma vida transformada. Os Cristãos mostram sua fé através de suas obras (Tg 2.18- 26). Na nossa nova natureza, somos motivados a ter diligência e produtividade por amor ao nosso Salvador que nos redimiu e nos deu um desejo de viver uma vida que agrada a Deus (Ef 4.28). Deus nos deu a responsabilidade de providenciar para a nossa família através do nosso trabalho: “Ora, se alguém não tem cuidado dos seus, e especialmente dos da própria casa, negou a fé, e é pior do que o descrente” (1 Tm 5.8). Como Cristãos, sabemos que nossos esforços serão recompensados pelo Senhor se formos perseverantes e diligentes (Gl 6:9-10); porque servimos a Cristo (Cl 3:23-24); “Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra, e do trabalho do amor que para com o seu nome mostrastes, enquanto servistes aos santos; e ainda servis”.

            Os Cristãos devem trabalhar com a força do Senhor para evangelizar e formar bons discípulos. O Apóstolo Paulo é o nosso exemplo: “A quem anunciamos, admoestando a todo o homem, e ensinando a todo o homem em toda a sabedoria; para que apresentemos todo o homem perfeito em Jesus Cristo; E para isto também trabalho, combatendo segundo a sua eficácia, que opera em mim poderosamente” (Cl 1.28-29). “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”, (1 Co 15.58). É tempo de trabalhar na seara, é tempo de colocar a mão no arado e plantar. O Senhor nos guarde da indolência e da preguiça. O Senhor nos faça homens e mulheres valentes e trabalhadores para a glória de Deus. Amém! Teol. Roberto Carlos de Moraes.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: